Estilo em tempos de crise: enxergando oportunidades!

Estilo em tempos de crise: enxergando oportunidades!

No desenvolvimento do conteúdo de uma palestra que farei, comecei a revisitar como as pessoas vestiam-se durante a Primeira e a Segunda Guerras Mundias, e me surpreendi. A estética, o visual, o modo como nos apresentamos para o mundo sempre foram  importantes e não deixaram de ser nesses períodos de extrema escassez.

Soluções criativas foram inventadas e a renovação de peças dava “vida” aos guarda-roupas.

Nos anos 40, por exemplo, as meias de nylon foram uma grande novidade, no entanto, durante a Segunda Guerra Mundial, o material foi destinado para confecção de artigos militares como: paraquedas, cordas, barracas de campanha, etc., tornando-as itens de luxo.

Mas, você acha que isso impediu as mulheres de se sentirem belas? Of course not! Algumas pintavam as pernas com cosméticos e desenhavam na parte posterior uma fina linha para imitar o efeito das meias calças. A americana Max Factor aproveitou o momento e criou um mecanismo de apoio para as mulheres fazerem a linha que imitava as meias com perfeição.

cosmético meia calça segunda guerra max factor_meia falsa segunda guerra

pintando pernas meia calça segunda guerra meias falsas segunda guerra

As revistas femininas passaram a divulgar guias sobre concerto e reciclagem de roupas para toda a família.

make and mend segunda guerra

Refletindo sobre isso percebi como a gente tem tanta coisa e nāo usamos (estou me incluindo nesta ok?). Você realmente está reclamando da crise financeira? Quer ver um dado interessante?

Só em 2014, os brasileiros (homens e mulheres!) gastaram R$ 22 bilhões com sapatos, segundo uma pesquisa inédita que a Fecomércio fez em São Paulo. E não pense você que isso tem relação com a situação econômica das famílias. A pesquisa apontou que: a classe “A” compra um quilo de feijão e nove pares de sapato. A classe “C”, para cada quilo de feijão, são dois pares de sapato.

“22 bilhões sāo equivalentes praticamente a todo o orçamento do Bolsa Família de 2014. Então é um dado muito expressivo com esse tipo de gasto”, fala o assessor econômico da Fecomércio-SP, Altamiro Carvalho. (((cataploft, alguém mais aí desmaiou???!!!)))

louca do sapato

Gente, vamos sair todos juntos desse modo automático de comprar, comprar, comprar! É (muito) possível encontrar oportunidades em situações em que o orçamento está mais apertado (e nāo somente nelas).

Vai lá no seu armário e veja quantas coisas estão paradas porquê precisam de um ajuste. De verdade! No meu trabalho como consultora eu tento manter o máximo de peças que a minha cliente tem. A ideia não é sair jogando tudo fora e compra tudo novo, mas sim transformar, usar de um jeito diferente.

A saia comprida pode ser transformada em curta, a blusa com a manga comprida manchada pode virar manga curta, o sapato do dia do casamento que você só usou uma vez pode ser tingido e colocado em ocasiões especiais (eu fiz isso!), o vestidinho preto de sempre pode ser usado como saia se você colocar uma camisa por cima, e assim vai…é um exercício, mas seu bolso vai agradecer!

Faça esse teste, você verá que na verdade estamos vivendo em grande abundância! Ah, e lembre-se das mulheres da Segunda Guerra toda vez que colocar suas meias de nylon <3

Um beijo!

Lari

  • Share on Tumblr

Deixe uma resposta